Todo estudante de língua estrangeira sonha com o tempo em que estará falando “fluentemente” o idioma escolhido. Dentre os principais mitos citados no artigo 7 conceitos de fluência e o que você deveria saber a respeito dela, um dos mais frequentes é o de que ser fluente significa falar sem pausas. E não é pra menos. UM RÁPIDO TESTE Façamos o seguinte teste: se você fosse professor de idiomas e um aluno, ao final de uma aula, lhe perguntasse de repente “professor, o que posso fazer para melhorar a minha fluência...

No artigo 7 conceitos de fluência e o que você deveria saber a respeito dela, apresentei algumas definições de “fluência” comumente encontradas na internet e procurei mostrar como elas são ainda bastante vagas e controversas (mesmo entre os profissionais da área de idiomas), dando ensejo aos mais diversos usos e abusos do termo pelo mercado. Ao final do artigo, propus um exercício de reflexão aos leitores: que formulassem seu próprio conceito de fluência a partir de 10 assertivas comumente utilizadas pelo senso-comum, já que, como pretendi deixar claro,...

No artigo intitulado O que nunca lhe contaram sobre terminar um curso de idiomas em tempo recorde, procurei contextualizar e explicar criticamente o surgimento da necessidade de se falar um idioma “fluentemente” (o mais depressa possível) em decorrência principalmente da mudança de paradigma e das exigências do mercado na sociedade atual. Indo na direção contrária, afirmei que a fluência em um idioma, a fim de tornar-se uma habilidade permanente, deve ser incorporada ao próprio ser como uma espécie de segunda natureza, e que cada indivíduo leva um tempo...

O aumento da renda familiar ocorrida nos últimos anos aliado à crescente demanda do mercado de trabalho por profissionais com fluência em inglês têm ocasionado um grande aumento na demanda por cursos de idiomas no Brasil. Afinal de contas, para ter um bom currículo e tornar-se um profissional valorizado é essencial aprender uma segunda língua o quanto antes. Não concordam? O MERCADO ESTÁ (SEMPRE) DE OLHO A partir da intensificação do senso comum de que não se aprende uma língua estrangeira nas escolas regulares brasileiras, especialmente ao longo das três últimas...