Rolling the dice – o uso do RPG no ensino de inglês

Olá! Uma das minhas técnicas favoritas (tema do meu trabalho de conclusão de curso e do meu mestrado), que venho usando há alguns anos em sala de aula, é o uso do RPG como uma ferramenta de ensino.

O termo é geralmente associado a jogos de videogame, como Final Fantasy e World of Warcraft. Mas estou falando dos também chamados tabletop RPG, ou RPG de mesa. RPG é a sigla de role-playing game, e mistura elementos de duas outras atividades: as brincadeiras de faz-de-contas e contar histórias.

Resumidamente, um jogador será chamado Mestre do Jogo ou Game Master. Esse contará uma história comprada ou criada por ele aos jogadores, que interpretarão personagens da história. Os personagens podem ter sido criados pelos jogadores ou pelo Mestre.

Como em um teatro improvisado, a história vai sendo contada de acordo com as interações em cena. Há uma premissa básica, porém ela não está definida, fechada ou acabada. Os jogadores vão descrevendo o que querem fazer e o Mestre do Jogo, como um diretor, diz o que acontece após cada decisão dos jogadores.

A ação ocorre na imaginação dos jogadores. A história contada é chamada de aventura, e essa se desenvolve sempre num cenário, comprado ou criado pelo Mestre. A aventura pode ter como ambientação a Idade Média, os anos 40, a época atual, a pré-história, o futuro ou até mesmo o espaço sideral.

O RPG tem muitos benefícios se for aplicado nas aulas de língua inglesa. Embora atividades de role-play sejam comuns na sala de aula, o RPG oferece uma oportunidade de utilização mais real da linguagem, podendo ser jogado com alunos de qualquer nível de proficiência lingüística.

Uma vez que seja usado apropriadamente, torna-se uma atividade que geralmente cria conversas animadas e muita comunicação por parte dos alunos. A principal razão para isso é que a situação hipoteticamente apresentada é carregada de emoção.

Também, quando os jogadores encontram os chamados personagens não-jogadores (non-player characters ou NPCs), interpretados pelo Mestre, a conversação pode se desenvolver muito mais do que no simples fato de descrever uma cena e perguntar mais sobre ela. Com o Mestre/Professor falando em inglês, os alunos têm que reagir a cada fala e responder, como numa conversa real. Quanto mais engajados na aventura, sem dúvida melhor será o resultado.

O RPG pode funcionar como uma ferramenta para que os alunos possam compreender e utilizar a língua de maneira mais natural e funcional, aplicando os conhecimentos adquiridos de maneira prática e produtiva, em uma atividade lúdica que incentiva a imaginação.

Um pouco difícil resumir aqui como utilizar esta técnica e os benefícios do RPG usado na sala de aula de língua inglesa. Recomendo, aos interessados, que leiam mais sobre o assunto nos links abaixo (todos escritos por mim!):

O que é RPG;
RPG na educação;
Uso do RPG no Ensino de Inglês.

E quem tiver dúvidas, ou sugestões, basta me contatar! Um grande abraço e até a próxima!

Fabiano Silveira

Fabiano Silveira é graduado em Letras Inglês e Mestre em Educação com ênfase em Estudos Culturais. Professor de Inglês do Curso de Letras e Secretariado Executivo Trilíngue da ULBRA e Coordenador do Instituto de Línguas da mesma universidade. Também atua como professor de inglês no Colégio Israelita Brasileiro e como tradutor freelancer para editoras e estúdios de histórias em quadrinhos. Contato: • profnerd@icloud.com • facebook.com/profnerd

No Comments

Post A Comment